Samuel Rindlisbacher

Quando Deus escolheu Israel no Antigo Testamento, ele lhe deu sua bênção. O começo foi bom: “Israel, meu povo, era santo para o SENHOR, os primeiros frutos de sua colheita” (Jr 2.3a). Infelizmente, porém, Israel se esqueceu do seu Deus, assim como hoje a nossa sociedade também faz. “‘Mas o meu povo trocou a sua Glória por deuses inúteis. Espantem-se diante disso, ó céus! Fiquem horrorizados e abismados’, diz o SENHOR. ‘O meu povo cometeu dois crimes: eles me abandonaram, a mim, a fonte de água viva; e cavaram as suas próprias cisternas, cisternas rachadas que não retêm água’” (Jr 2.11-13).

Israel começou a adorar em pleno templo o deus Tamuz, da vegetação, e o sol como fonte da vida (cf. Ez 8). Da mesma forma nós hoje damos as costas ao Deus vivo, a fonte da bênção, e então nos espantamos quando a bênção também se perde com isso. Trata-se, contudo de uma lei espiritual natural: a bênção de Deus é vinculada às suas condições. “Se obedecerem aos mandamentos do SENHOR, o seu Deus”, Deus abençoará (cf. Dt 28).

É como uma pedra que atiramos na água: ela produz círculos que se expandem. Se sacudirmos uma árvore, cairão frutos. Assim também haverá consequências se nos afastarmos de Deus. Foi exatamente o que aconteceu com Israel: “... queimam incenso a ídolos inúteis, que os fazem tropeçar em seus caminhos e nas antigas veredas, para que andem em desvios, em estradas não aterradas” (Jr 18.15).

Permitam-se perguntar: será que nós como cristãos temos a mesma dedicação por Jesus e a disseminação do seu evangelho?

Não é isso o que acontece com as nações europeias? Não nos desviamos conscientemente do Deus da Bíblia? Fazemos exatamente aquilo contra o que o profeta Ezequiel adverte: “Filho do homem, se uma nação pecar contra mim por infidelidade...” (Ez 14.13). Justamente nos países da Reforma havia ocorrido um novo impulso em direção à Bíblia. A geração mais idosa talvez ainda se lembre: nas escolas ainda se orava e lia a Bíblia antes das aulas. Nas aulas de catequese nas escolas públicas ensinava-se o catecismo. Milhares de missionários saíram da Europa para o mundo todo. Já hoje...

Deus terá de dizer a respeito o mesmo que disse sobre Israel: “... meu povo esqueceu-se de mim: queimam incenso a ídolos inúteis, que os fazem tropeçar...” (Jr 18.15). Deifica-se a natureza.

Talvez você tenha ouvido no ano passado a agitadora palestra de Greta Thunberg na conferência TED em Estocolmo. Pode-se pensar ou dizer o que se quiser sobre essa jovem, mas ela me fascina por sua dedicação e seu zelo! Como ela vive focada naquilo que considera importante! E sua dedicação e decisão! Permitam-se perguntar: será que nós como cristãos temos a mesma dedicação por Jesus e a disseminação do seu evangelho?

A grande tragédia de todo discurso sobre a “salvação” do clima é que o Deus Salvador é conscientemente excluído. Não se deseja o Criador. Em seu discurso no TED, Greta também disse que o homem é uma espécie animal entre outras. Essa noção provém da teoria da evolução, na qual se dispensa o Deus Criador. E, assim, os novos “mensageiros divinos” chamam-se ecologia, proteção ambiental e salvação climática.

As próprias igrejas não têm resposta. O pastor de um pequeno povoado (a ideologia do clima realmente atingiu os últimos recantos) escreveu no dia da demonstração nacional pelo clima, na qual as igrejas deveriam regular os relógios das suas torres para 5 para as 12: “Isso poderia nos ajudar a reconhecer a nossa responsabilidade de talvez ainda salvar a nossa terra no último segundo”. As igrejas emudeceram. Em vez de retornar ao Deus Criador da Bíblia, o paganismo retornou na forma da “antiga religião da natureza”!

Quem, todavia, ainda crê em Jesus, deveria por isso percorrer de forma tanto mais decidida a trajetória que a Bíblia nos aponta. – Permaneçamos de forma bem mais decidida com sua Palavra! Vivamos com muito maior decisão segundo a ética bíblica! Tenhamos muito mais decididamente a coragem de testemunhar de Jesus! Rejeitemos todo pecado de forma bem mais decidida! E esperemos bem mais decididamente o arrebatamento, que pode ocorrer a qualquer momento!

Maranata. Vem, Senhor Jesus. Sim, vem logo, amém!

Samuel Rindlisbacher é ancião da igreja da Chamada na Suíça e foi fundamental no desenvolvimento do grande ministério de jovens da mesma.

sumário Revista Chamada Fevereiro 2020

Confira